Notícias

Teatro Viriato no Bairro da Boa Morte

No âmbito do apoio da Fundação Calouste Gulbenkian num projeto piloto de promoção do Tchiloli enquanto resposta de Indústria Criativa, o Teatro Viriato de Viseu, fez-se representar por Graeme Pulleyn, encenador e Ricardo Machado, coreógrafo, de 12 a 19 de dezembro na Cidade de São Tomé, mais propriamente no Bairro da Boa Morte para uma semana de diagnóstico.

Diagnostico Teatro Viriato

Esta semana de diagnóstico participativo com o Grupo Tchiloli Formiguinha da Boa Morte (GTFBM), teve como objetivo recolher informação para iniciar os preparativos de uma Residência Artística que acontecerá em janeiro de 2018, num processo de aprendizagem e reciprocidade que reforce a resposta artística do GTFBM.

Semana rica em partilha para um melhor conhecimento das pessoas, do trabalho, do papel de cada um no grupo Tchiloli, o que representa para eles, para a comunidade local, nacional e internacional. Estas e outras questões foram levantadas de forma a melhor se preparar a residência que se quer frutuosa, mas adequada a esta realidade.

Diagnostico Teatro Viriato 2

Semana de reuniões com o grupo, mas também com pessoas com conhecimento sobre o Tchiloli, como René Tavares, artista plástico santomense e Inês Gonçalves, fotógrafa e realizadora, que colaboram partilhando a sua opinião e conhecimento.

A semana terminou com um workshop e um almoço partilhado, já com vontade de todos para participar e trabalhar na residência artística de janeiro de 2018!

Missão São Tomé e Príncipe - Cidade, 2017