Notícias

Grupo de Mulheres de Porto Alegre visita fábricas na cidade de S. Tomé

O grupo de mulheres Trabá só cá dá tê - “Só quem trabalha tem”, em forro santomense - visitou, no passado mês de agosto, duas fábricas que se dedicam à transformação de produtos da terra e naturais de São Tomé e Príncipe. Bem cedo as mulheres saíram de Vila Malanza com muita vontade de ver e aprender coisas novas e de passarem um dia diferente, dedicado a elas e ao convívio salutar entre todas.

A primeira paragem foi na localidade da Trindade, onde se situa a fábrica Valúdo.

Visita a Fabrica Valudo 2

Inaugurada no presente ano, esta unidade fabril dedica-se à produção de óleo e farinha de coco biológicos, produtos que posteriormente são exportados para vários países europeus. O grupo teve a oportunidade de assistir a todo o processo de transformação do coco, desde a seção de corte, até à secagem em secadores industriais, à extracção do óleo e, finalmente, à purificação do mesmo.

Visita a Fabrica Valudo

De seguida o grupo visitou a fábrica Delícias das Ilhas, que produz compotas, licores, óleos, chás, sabonetes, entre outros produtos naturais da terra.

Fabrica Delicia das Ilhas

No final destas visitas, as mulheres manifestavam o seu entusiasmo por terem assistido a técnicas de produção inovadoras, e por perceberem que os produtos que usam no seu dia-a-dia e que crescem nos seus quintais podem ser transformados em novos produtos mais atrativos e diferenciadores.

As visitas foram realizadas no âmbito do Plano de Desenvolvimento Multidimensional (PDM), definido para este grupo composto por 15 mulheres e que é acompanhado pelos Leigos para o Desenvolvimento e apoiado pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal e pelo Camões, Instituto da Cooperação e da Língua. Estas atividades têm como objetivo principal dotar as mulheres de novas competências técnicas e sociais e gerar novas oportunidades, promovendo o empreendedorismo e a autonomização da mulher e a possibilidade de criarem os seus próprios negócios. Simultaneamente, pretende-se estimular negócios sustentáveis que utilizem os produtos da terra, beneficiando as próprias mulheres e, consequentemente, as comunidades em que se inserem.