Testemunhos

A quem de direito

Para vos dizer a verdade sinto que, por vezes, para escrever estes testemunhos precisava de vestir a pele de quem me dá histórias para vos testemunhar. Bem sei que o suposto é testemunhar a minha própria vida aqui mas sinto-me em construção por tanta Graça recebida até agora. Sinto que o que tenho de testemunhar são as testemunhas de sobrevivência que vivem no Bairro e que, sobrevivendo, vivem mais do que eu.

Continuar...

A Távola Redonda Santomense

Com alguma imaginação podemos comparar a dinâmica organizacional e participativa do Grupo Comunitário da Boa Morte à dos Cavaleiros da Távola Redonda, pela primeira vez escrita por Wace, no século XII. Na lenda, os Cavaleiros escolhidos pelo rei reuniam-se na Távola Redonda, simbolizando a posição de igualdade e a honra para os homens de confiança do rei, a fim de discutirem e definirem estratégias de batalha.

Continuar...

Felizes os Loucos, porque deles é..

Não, não tenho intenção de reescrever o Sermão da Montanha sobre as 9 fórmulas de felicidade mais conhecidas como Bem-Aventuranças. Quero apenas constatar mais uma fórmula de felicidade. Ora vejamos…

Continuar...

O meu Natal em Benguela

Sempre gostei do Natal.

Sou aquela pessoa que, mal acaba o verão começa a contar o tempo para o Natal. Gosto das músicas, das luzes e da magia que se vive nas ruas da cidade do Porto. Sou adepta assídua da manta, do sofá e dos filmes (sempre os mesmos) que passam na televisão nesta altura. Mas acima de tudo, o Natal para mim é família, paz, alegria, frio lá fora e um calor no coração ao qual nunca soube bem dar um nome.

Continuar...

O Natal por aqui

Em Portugal utilizava com frequência a típica expressão: o Natal é quando o Homem quiser… Usava-a em parte para me “descartar” de alguma coisa, ou de um jantar que não podia ir, ou de uma prenda esquecida ou sem grande entusiasmo para a comprar, ou até mesmo de uma “boa ação” de Natal.

Continuar...

Recomeçar, Agrupar, Analisar, Espalhar

Uma vez por ano, os gestores de projeto das missões dos Leigos para o Desenvolvimento visitam o terreno. É um tempo muito rico para todos, no qual os gestores de projeto estão nas comunidades locais, nos projetos e connosco, as comunidades LD.

Continuar...