Testemunhos

Da aterragem à chegada

Ao passar os olhos pelo que fui escrevendo nos meses antes de partir relembro o que sentia na altura. Relembro a vontade de partir, o desejo de conhecer as pessoas, os lugares, os projetos. Relembro também a curiosidade, a dúvida, o receio, a ansiedade de deixar a casa e a família. Paro, e tomo consciência de onde estou e de como estes sentimentos foram evoluindo.

Não bastou aterrar para sentir que cheguei. Para chegar é preciso tempo. Tempo para que os ânimos se acalmem e as emoções estabilizem. Para conhecer e me adaptar a esta nova realidade, para pegar nas rédeas do projeto.

Desde que aterrei passaram 3 semanas e agora tudo se vai tornando mais real.

Agora tudo o que li e ouvi sobre a missão de Benguela ganha cor e forma. Agora a curiosidade é satisfeita, agora as dúvidas passam a certezas. Agora os receios tornam-se motivações e os anseios, entusiasmo. Agora Portugal parece cada vez mais longe e Benguela vai se instalando aos poucos no meu coração. Agora os lugares tornam-se familiares, e as ruas conhecidas. As caras ganham nomes e os nomes ganham histórias. Agora que o meu corpo se começa a habituar ao calor e a agitação da cidade ganha algum encanto. Agora que o Bairro da Graça me vai acolhendo com a sua alegria contagiante. Agora que toda a poeira assentou… consigo ver tudo com mais nitidez.

Vejo o trabalho que está por trás do GAIVA (Gabinete de Apoio à Inserção na Vida Ativa) que encontro já com um ritmo estável e uma equipa coesa. Vejo com clareza a sua importância e o seu valor. Comprovo o seu sucesso e resultados com os meus próprios olhos. Sinto o peso da responsabilidade de dar seguimento a tudo isto, mas sinto a segurança de quem sabe que está bem acompanhada.

Sinto que vai ser um ano de muito serviço, muito trabalho e muitos desafios. Sinto também que não vai faltar alegria nem amor, e que vai ser um ano de muitos frutos. Mas agora que cheguei, sinto-me pronta, sinto-me preparada para o que aí vem e para em tudo, amar e servir.

Bairro da Graca Chegada ao GAIVA Marta Horta

Marta Horta
Benguela, 2017-2018