Testemunhos

Lavar a roupa

Se tivesses que escrever uma carta a uma comunidade, como São Paulo, o que lhes dirias? – esta foi a proposta final de uma Oração Comunitária. Longe de ser como São Paulo, aqui partilho uma das carta que escreveria às comunidades com quem agora vivo.

“Queridas Comunidades de Ponta Baleia, Vila Malanza e Porto Alegre,
Ou melhor queridas mulheres, crianças, jovens e adultas, trabalhadoras que diariamente lavam a roupa nestes rios e tanques.

Escrevo-vos para agradecer o vosso exemplo de trabalho, esforço e dedicação.
Como é bonito passar a ponte, e ver o rio repleto de cores. Cores vindas das calças, calções, saias, camisolas, t-shirts e lençóis, amarelos, cor de laranja, cor de rosa, azuis, verdes, roxos e brancos.

Como é bonito aproximar-me do “Quequere” e sentir uma lufada de ar fresco cheio de vida. Vida que é transmitida entre cantos, conversas, gritos, gargalhadas, silêncios e crianças a correr, a tentar pescar qualquer coisa. Vida partilhada, porque não estão sós, estão umas com as outras.

Um trabalho exigente e complexo, mas que vocês me mostram como com tempo e paciência dá para lavar e limpar tudo.

Lavar Roupa

Que é preciso conhecer bem a nódoa, Klim, Flor, sabão azul e branco, lixívia, gamela ou pedra, são técnicas diferentes.. Que apesar de dizerem “É fácil, esfrega só”, quando se tenta não é bem assim. Há uma direcção, uma força a aplicar, um movimento que exige treino e experiência. Treino e experiência que com a idade vai evoluindo, mas que é preciso começar deste pequenino para que, quando as responsabilidades familiares forem maiores, a técnica seja mais eficaz.

E não se preocupam só com a vossa, a roupa dos filhos, maridos, primos, sobrinhos ou até vizinhos também é lavada com as vossas mãos, se assim for preciso!

E no final, confiantes e pacientes, entregam ao sol, para que ele seque tudo. Está seca e dobrada, só falta pôr na cabeça e seguir para casa.

Escrevo-vos para agradecer o vosso exemplo de trabalho, esforço e dedicação.

Será que, algum dia, vou conseguir lavar, limpar e purificar também assim o coração?”

Madalena Perloiro
São Tomé e Príncipe, 2017-2018