Testemunhos

Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos

“Deus quer, o homem sonha e a obra nasce”, a missão da Caparica-Pragal constata isso mesmo.
Há muito que os Leigos para o Desenvolvimento (LD) sonhavam em ter uma missão em Portugal e quis Deus que este fosse o ano para tornar real este sonho.

Algo que me entusiasma nos LD é que não somos apenas “Leigos para o Desenvolvimento” somos acima de tudo “Leigos em Desenvolvimento”, através de tudo o que experimentamos e vivemos acabamos por ser moldados e transformados pelas pessoas com quem vamos fazendo caminho.

Hoje é disso que vos falo: da missão da Caparica-Pragal e como tenho vivido estes quatro meses de missão.

Vista dos bairros de Caparica Pragal

Uma missão exigente, que está no seu início, a ser criada de raiz com os seus desafios mas também com muitas graças e alegrias. E como são bonitos os desafios que os dias trazem.

É preciso conhecer os bairros, é preciso conhecer as entidades que atuam no terreno, é preciso conhecer as pessoas que cá vivem.

É necessário conhecer, ouvir, estar e dar. Conhecer quem cá vive e ouvir as suas histórias e a história dos próprios bairros. É preciso estarmos inteiros na missão que nos é confiada, bem como darmo-nos a conhecer. Para isso é imprescindível tempo, paciência, esforço, confiança e entrega pois só assim é que se faz caminho juntos.

E agora é tempo de semear, é preciso dedicação para lançar sementes de frutos que muito provavelmente não irei ver, mas que entrego e confio a alguém que depois de mim irá colhê-los, pois os projetos não são meus, mas sim nossos, e os frutos também.

Um dos pilares da vida em missão dos LD assenta na vida em comunidade que caracteriza a nossa maneira de estar e de viver, valorizando as diferenças entre as pessoas, crenças e culturas.

Constança e Marta (voluntários LD)

Há uns tempos, durante a missa, o padre partilhava que Jesus enviava os discípulos dois a dois (Mc 6, 7), e achei curioso esta passagem porque este ano para esta missão Ele também nos enviou em comunidade de duas.

E eu sinto-me tão agradecida por cada dia com esta comunidade, que é tão simples e tão rica.

Aqui, em missão, tudo é vivido com mais intensidade e mais amor!

E é com gratidão e esperança que acolho tantas graças recebidas.

E apesar de incertos os frutos que virão, resta a certeza de que, no final de contas, colhemos de Ti, e semeamos por Ti.

Marta Barreiras
Caparica-Pragal, 2018